Cadastro para receber auxílio emergencial de R$600

Com a proporção da pandemia que estamos enfrentando algumas medidas tiveram que ser tomadas para proteção, de uma forma geral, dos cidadãos e consequentemente do país. O isolamento social é até então a forma mas eficaz de se prevenir o novo coronavírus, entretanto, muitas pessoas ficaram desassistidas por não terem como remanejar o seu trabalho, tornando grupos já vulneráveis ainda mais afetados.

Depois de muita pressão, como medida emergencial para amparar esses grupos mais suscetíveis, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que a partir de terça-feira (7) o governo deve disponibilizar um aplicativo juntamente com a Caixa Econômica Federal, para que o cidadão que se encaixa no perfil definido possa se cadastrar para receber o auxílio emergencial de R$ 600.

É claro que com o anunciado diversas dúvidas surgiram e por isso mesmo preparamos esse artigo completo para esclarecer todas essas questões. Reunimos aqui uma vasta gama de informações para que você consiga realizar o seu cadastro, sem nenhuma dificuldade, e receber o seu benefício por direito.

Então, continue a leitura.

Você pode gostar de ler também:

Como funciona o auxílio emergencial?

O auxílio emergencial foi uma medida tomada para tentar amenizar o impacto financeiro decorrente da pandemia de coronavírus, que será pago por pelo menos 3 meses.

Em princípio a bolsa temporária seria de 200 reais. Depois da pressão de parlamentares o governo concordou em aumentar o valor do benefício para 600 reais. O governo tem sido criticado pela demora em iniciar esses pagamentos. A sanção da lei pelo presidente demorou três dias.

Uma das possibilidades para receber este benefício é estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério da Cidadania até o último dia 20 de março.

Sendo assim, não adianta tentar se cadastrar apenas para receber o auxílio, pois a inscrição não será válida para esse fim.



Para saber se você está inscrito no Cadastro Único o Ministério da Cidadania disponibiliza três opções para isso:

  • Pelo site Consulta Cidadão;
  • O aplicativo de celular Meu CadÚnico, disponível para Android e iOS;
  • Por telefone, nos números 0800 707 2003;

Mas caso você não esteja cadastrado, não se preocupe! Ainda assim é possível receber o valor do benefício, cumprindo, é claro, algumas exigências.

“Essa medida é assistencial e busca amparar os mais pobres. Portanto, será necessário aferir quem é rico e quem é pobre” Rômulo Saraiva, Advogado

Confira abaixo quais são esses critérios e veja se você tem direito ao auxílio emergencial de R$600,00.

Quem tem direito ao benefício?

A lei que trata sobre o auxílio emergencial diz que para receber a ajuda de R$ 600, o trabalhador deve:

  • Ter 18 anos ou mais;
  • Não ter emprego formal ativo;
  • Não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial;
  • Não ser beneficiário de seguro-desemprego ou programa de transferência de renda, com exceção do Bolsa Família;
  • A renda familiar mensal por membro da família deve ser de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135);
  • No ano de 2018, não tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;




Exercer atividade em uma dessas condições:

  • MEI (Microempreendedor individual);
  • Contribuinte individual;
  • Trabalhador informal, seja empregado (sem carteira assinada), autônomo ou desempregado, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo, inscrito no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal) até 20 de março de 2020 ou que, nos termos de autodeclaração, cumpra o requisito de limite de renda familiar;

Agora, antes de saber como se cadastrar no aplicativo para receber o auxílio de R$600,00, vamos esclarecer algumas dúvidas comuns.

Vamos lá?

Dúvidas comuns sobre o auxílio emergencial:

  • O que é renda familiar per capita?
    É o critério para saber se as requerentes serão beneficiados ou não. se constitui como a soma-se todos os salários da família e depois esse valor é dividido pelo número de integrantes.
  • Quantas parcelas terá o auxílio emergencial?
    A previsão é de três parcelas, podendo ser prorrogadas se a pandemia justificar a continuidade do pagamento.
  • Se eu receber o benefício perco o Bolsa Família?
    O governo dá a opção de substituir temporariamente o Bolsa Família enquanto se receber o benefício emergencial. E, quando a pandemia acabar, o Bolsa Família volta a ser pago.



  • Se eu contribuir para o INSS, mas não for aposentado ainda. Posso receber o auxílio-emergencial?
    Os segurados que pagam o INSS na condição de contribuinte individual ou segurado facultativo (dona de casa ou estudante).
  • Estou recebendo as parcelas do seguro-desemprego. Posso receber o auxílio?
    Enquanto o Ministério da Economia estiver pagando a parcela do seguro-desemprego, não poderá se habilitar para receber o auxílio emergencial. Mas quando essa parcela acabar, você pode buscar as parcelas restantes do auxílio emergencial enquanto durar a pandemia.
  • As mulheres que forem chefe de família ganharão R$ 1.200,00?
    Sim. A mulher provedora de família monoparental receberá duas cotas do auxílio, que correspondem a R$ 1.200. O conceito de chefe de família não é exatamente uma mulher que trabalha e que o marido encontra-se desempregado. A família monoparental é o critério adotado e este se refere a pessoa sozinha que ao mesmo tempo assume o papel de pai e de mãe para cuidar da prole.
  • Quando finalmente vou poder receber os R$ 600?  
    O governo não estabeleceu uma data para isso. Estima-se que na segunda semana de abril comecem os pagamentos por meio de conta bancária digital e gratuita ou por meio de transferência eletrônica para quem já tem conta em outro banco.

Observação: O recebimento do auxílio será limitado a dois membros da mesma família.

Agora que já esclarecemos diversas dúvidas veja como realizar o cadastro para receber auxílio emergencial de R$600.

Cadastro para receber auxílio emergencial de R$600

O objetivo do aplicativo que será lançado coletar dados de pessoas que não estão no Cadastro Único, contribuintes individuais e o microempreendedor individual.

O cadastro será feito diretamente pelo site da Caixa.

Com isso, definir quem se encaixa no perfil de beneficiário ou não.

“Não haverá nenhuma taxa e nenhum ônus e vai permitir que, pela web, ou através do celular, as pessoas possam fazer o cadastramento, para permitir que, em 48 horas, aqueles que cumprirem todos os requisitos, terão o recurso creditado pela Caixa, pelo Banco do Brasil e pela rede bancária privada”, afirmou o ministro da Cidadania.

Ainda não foi divulgado o procedimento, mas é importante se atentar a Caixa divulgará, na próxima segunda-feira (6), os procedimentos e o calendário de pagamentos do auxílio emergencial aos trabalhadores brasileiros que que se enquadram nos requisitos da lei  13.982/2020.

O decreto regulamentador do programa está em fase final de elaboração.

O aplicativo será simplificado e totalmente gratuito para permitir que, em torno de 48 horas após seu cadastramento, aqueles que cumprirem os requisitos legais tenham o recurso creditado em suas contas.

E então, esse artigo foi útil? Compartilhe com os seus amigos.

Ficou com dúvidas sobre o cadastro para receber auxílio emergencial de R$600? Deixe nos comentários.

Author: medmedson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *